03 maio 2007


Fiz esse desenho tosco agora em 5 minutos pq eu tenho que contar uma coisa.
Ontem, o Diogo (parceiraço de indiada, quem estiver afim de uma é só procurar ele lá no lab de botânica) e eu fomos numa palestra. As 17:04, eu e ele estávamos sentados com mais umas 30 ou 40 pessoas no auditório da UFRGS quando um senhor muito simpático, com camisa social, cinto e a barba que lhe é característica entrou subiu no palco e disse: VOCÊ, VOCÊ e VOCÊ!!! A galera foi ao delírio!! Estávamos nós diante do "póprio", o inigualável, o vitaminado, o estrogonófico e inoxidável José Mojica Marins. Pra quem não sabe, esse é o nome verdadeiro daquele que as pessoas normalmente conhecem por Zé do Caixão. Foi um momento único na minha vida! O cara é simplesmente fantástico. Ele falou e conversou com o público durante uma hora e meia sobre a sua carreira, desde seu primeiro filme quando ainda era criança, passando pela gravação dos clássicos "À meia noite levarei sua alma" (1964), e a continuação "Esta noite encarnarei no seu cadáver", de 1967, até os dias de hoje, quando em 2008 deve ser encerrada essa trilogia, com o filme "A encarnação do demônio".
Ele falou dos 'poblema' de dinheiro, dos 'poblema' com a ditadura, das suas inovações no cinema.... por exemplo. Vocês sabia que ele é responsável pela primeira cena externa feita com céu nublado no cinema brasileiro? Foi sim, quem quiser ver, é só assistir "À meia noite...". Sabiam que ele fez um filme pornô nos anos 70 que teve a primeira cena de zoofilia do cinema nacional? O cachorro foi o único 'ator' que ficou famoso com o filme. Pena que o dono dele o matou envenenado (e não deu para fazer uma seqüência do filme com os mesmos 'atores') pq descobriu que a sua mulher (não a sua, a mulher do dono do cachorro) tava traindo ele com o cachorro... lastimável. Afinal, trair alguém com um popstar não é trair, né.
O cara é genial!! Ele fez esse filme pornô só com mulher feia!! Diz ele que botou no jornal "Procura-se mulher feia para fazer filme pornô". Até ele ficou assustado com as pessoas que apareceram....
Outra informação muito relevante foi que "A encarnação do demônio", que sairá ano que vem, é o último filme do também magnânimo, tecnológico e vitaminado, o rei dos cafajestes Jece Valadão. Valadão morreu durante as filmagens (mantendo a tradição de sempre morrer alguém da equipe durante as filmagens do Mojica Marins), mas já tinha acabado todas as cenas, então não tiveram que substituir nem mudar a história.
Uau!! Ele contou muita coisa legal. Gostaria de passar tudo pra vocês, mas não vou conseguir lembrar.
Ah, a título de curiosidade. Nunca tinha visto tanta gente estranha reunida. Nem no IA eu já vi tanta gente bizarra junta.
bjs

2 comentários:

Luiz Augusto disse...

HUAHAUHAUHA! PERDI!

Diogo disse...

show de bola mesmo o Zé. Se eu chegar aos 70 com aquela saúde E com tanta história pra contar, vo tã mais q satisfeito.