13 fevereiro 2009

150 anos da Teoria da Evolução

"Tudo o que é necessário saber nessa vida e na próxima está em 'O Poderoso Chefão'"
Aleja

Até o século XIX o mundo era bastante simples. Absolutamente tudo tinha sido criado por um homem invisível que mora no céu e era assim que as coisas funcionavam. Ele mandava e as pessoas obedeciam. Aliás, ele era meio Don Corleone (ou meio Lula, se vocês preferirem), ninguém nunca viu ele mandar nada. Na hora de mandar ele se fecha em um quarto com seus caporegimes e dá as ordens. Se depois der algo errado, aparecer a polícia e tal, ele não tem nada a ver com isso, foram os outros que fizeram por vontade própria e ele não sabia de nada. Mas de qualquer maneira, as pessoas obedeciam já que suas represálias eram mundialmente conhecidas e suas ofertas eram irrecusáveis. “Queimem as bruxas!” ele mandava, e seus caporegimes ordenavam para seus soldados que executassem as bruxas (por 'bruxas', leia-se qualquer pessoa que eles tivessem qualquer motivo para queimar). “Matem os hereges!” e então era travada uma guerra contra qualquer um que acreditasse em um homem invisível diferente. Era tipo o final do Poderoso Chefão, com o cara sendo assassinado com um tiro no olho enquanto é massageado. A cada mais ou menos cinco ou dez anos eles tinham que fazer uma limpa nos inimigos, antes que eles se tornassem fortes o suficiente para tomarem o poder. E as coisas funcionavam assim. O homem invisível tinha criado todos os seres exatamente como eles são hoje, o ser humano era especial e ninguém com um mínimo de bom senso duvidava que tudo o que ele dizia (ou diziam que ele dizia), afinal ninguém queria ser queimado vivo, ir para o inferno ou virar comida de peixe.

Mas a 150 anos atrás, um carinha, baseado na idéia ridícula (que estava se tornando popular na época) de que entenderia melhor o mundo se baseasse suas convicções na razão e seguisse uma linha de raciocínio que fosse sendo comprovada por evidências e experimentos, desafiou o establishment e provou que todos os seres tem um ancestral comum, inclusive o homem, que, portanto, é um ser que não tem nada de especial. Além disso, a teoria desse carinha explicava a existência do homem e de todos os seres sem precisar recorrer à idéia de que tudo tinha sido criado magicamente pelo Don Corleone ali de cima.

Isso diminuiu muito o poder da família Corleone. De repente eles não tinham mais o monopólio da criação, um novo tipo de pensamento estava surgindo (aliás, o ‘pensar’ estava ressurgindo naqueles tempos) e o Don não quis dar ouvidos quando disseram que esse era o negócio do futuro.

Mas a questão agora é essa. O Don não conseguiu conter os seus inimigos no início enquanto eles ainda eram fracos e agora as 5 Famílias de Nova Yorque estão em guerra.

E as coisas funcionam assim.

Vou no Macy’s comprar uns colchonetes e já volto.

4 comentários:

Michael disse...

Boa lembrança!
Mas as empresas da Família Corleone ainda coordenam o planeta.

__YuRi_KuN__ disse...

foda!

Luiz Augusto disse...

Eu acho paia ficar comparando Deus com o Don Corleone... O Don Corleone é muito mais foda! :p

Pedro disse...

Pare de andar com biólogos!!!