15 fevereiro 2008

Ainda há esperança para nós, nerds.

Eu estou lendo um livro chamado “Chega de falar de mim...” escrito pela Jancee Dunn, que escreve para a revista Rolling Stone e já foi correspondente da Good Morning América e VJ da MTV. O livro é sobre a vida dela e curiosidades sobre o mundo das entrevistas com pessoas famosas.
Mas eis que eu estava lendo um capítulo sobre quando ela foi entrevistar o Brad Pitt nas filmagens de “7 anos no Tibet” e tive um revelação. Aqui vai um paragrafinho.

“Depois de um passeio de furgão longo e vertiginoso, com direito a uma parada para deixar um rebanho de caribus cruzar a estrada, chegamos ao acampamento nas montanhas. Com certeza esse era um dos poucos lugares do mundo onde Brad Pitt podia andar sem ser molestado. Ele estava coberto com 15 centímetros de barro, botas, calças de moletom e um casaco de camurça preto. Estava amigável e bem humorado. O fato de ele estar tão espontâneo fez minhas mão suarem frio. Graças aos céus, eu não tinha nenhuma quedinha por ele... e nessa hora isso fez toda diferença. Eu gosto dos tipos nerd, que ficam o tempo todo dentro de casa, magrelos e com jeito de tuberculosos, enquanto o Pitt estava mais para instrutor malandrão de esqui ou surfe. As expressões favoritas dele eram ‘E aí?’ e ‘Falou?’. Quando ele concorda com você, a resposta é quase sempre um ‘É isso aí, cara’.”

Uau, ainda existe esperança para os tipos nerd, que ficam o tempo todo dentro de casa, magrelos e com jeito de tuberculosos. Alguém no mundo prefere isso ao Brad Pitt.

5 comentários:

thi.martini disse...

e isso é bom ou ruim?

Luiz Augusto disse...

HEHEHE! Nesse mundão aí tem pau pra toda obra!

Michael disse...

E que tal essa Jancee Dunn???

pesquisei disse...

...uns 42 anos, conta bancária que continua crescendo com a venda do livro dela, o visual pode ser conferido em
http://janceedunn.typepad.com/
mas aí se fica sabendo que ela é casada...

Mário disse...

Muito obrigado Aleja! Estou realmente me sentindo melhor!

Abraço! Mário