13 novembro 2006

Não costumo fazer mais de um post por dia, mas tô vendo que hoje vai ser um dia em que vou fazer várias coisas que não costumo.
O Labareda fez uma pergunta fundamental. Por quê o Pateta fala e o Pluto age como cachorro? A resposta é simples.
O Pluto é preguiçoso (igual as pessoas q estao fazendo doutorado na Bélgica e ficam lendo blogs e perguntando coisas sobre desenhos animados ao invés de trabalhar), e sabe que a vida de cachorro é muito mais fácil que a vida de humano. Ser cachorro é só comer, dormir, dar em cima da cadelinha bonitinha e fugir do bulldog. Então ele fica caladão na dele.
Já o Pateta, como o próprio nome diz, é pateta. Quer dar uma de humano, trabalhar, praticar esportes, dirigir.... e, por isso, fala com as pessoas.
Fazendo uma releitura da música do Stereoplásticos:
"Eu quero ser o Pluto"..... não, não ia ficar legal uma letra de música assim, o povo ia entender outra coisa.....

3 comentários:

Luiz Augusto disse...

Deixo aqui registrado um protesto contra a afirmação difamatória dirigida ao amigo Labareda (que por sinal, não conheço pessoalmente). A indagação apresentada pelo mesmo carrega acentuado peso e relevância para qualquer discussão lusoempírica conservadora pós-liberal, e deve, portanto, ser considerada da mais extrema importância. A dicotomia paradoxal pluto/pateta carrega consigo o cerne fundamental do princípio caótico/metafísico da existência dos quadrinhos, razão a qual também motiva a existência deste blog, fato o qual constata que sem a indagação, o blog nem sequer existiria (paradoxo espacial-temporal blog-quadrinístico).

Carol disse...

hahhahahahhaha!
mto boa a releitura, mas certamente o entendimento fica muito comprometido.

hhehehe
beijos p/ ti rodrigo!

Michael disse...

Tá, mas o Labareda é beeem preguiçoso!